NÃO MATE ANFISBÊNIAS

Nascida e criada espontaneamente nos canteiros de casa, essa espécie de réptil alimenta-se de pequenos bichinhos como vermes e insetos – cupins, larvas, lagartinhas e, claro, as temidas formigas roçadeiras. Como? Considerada uma exímia escavadora, a espécie utiliza a cabeça em forma-de-pá para abrir verdadeiras galerias que vão de encontro aos formigueiros das inimigas nº 1 de todx jardineirx: as formigas de roça ou cortadeira. Deduz-se que esses répteis têm um papel ambiental tão importante quanto o das minhocas, pois, ao cavar a terra do seu quintal ou jardim, contribuem para a penetração da água e do ar no mesmo, favorecendo o desenvolvimento da vegetação.

Portanto, se você encontrar uma anfisbênia, (cobra de duas cabeças existe, e não é ela) em seu jardim, não mate: grite, corra para a montanha mais próxima ou suba no lugar mais alto. Isso ajuda a aliviar a tensão. Desmaios não são seguros. Brincadeiras à parte, ao contrário do que muitos imaginam, a anfisbênia não é uma cobra nem possui duas cabeças – tem só uma mesmo. Não é cega – possui dois pequenos olhos cobertos por escamas – e tampouco é venenosa. Ela morde somente se provocada. Seu instinto de defesa é enrolar-se ou debater-se. Em alguns casos ela perde parte da cauda – fato que acontece uma única vez pois a mesma não se regenera como a lagartixa.

A semelhança externa com as serpentes, aliada à crença popular (incorreta) de que são perigosos, faz com que esses animais inofensivos sejam sumariamente exterminados quando emergem de suas galerias encharcadas após a chuva, ou quando são trazidos a tona pela enxada ou arado. Com informações de Allyne Dayse Macedo

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *